uma carta para mim mesma 10 anos atrás (2)

Ei, Carol. Aqui estamos de novo. Escrevi pra você há cinco anos, quando eu tinha 25 e você tinha 15 anos. Hoje escrevo pra você com 20 anos, já adulta, já na faculdade, já em outro momento da vida. Te falo: muita coisa pode mudar em cinco anos. E te falo mais: TÁ TUDO BEM! Mudar é bom, mudar é legal, mudar é necessário - quando a gente aceita isso. Como você está fazendo 30 anos hoje, pensei em te dar de aniversário 30 considerações, Carol de 20. Considerações essas que valem pra você aí, mas que podem continuar valendo aqui. 
1. Carol, primeiro de tudo, SE AME. Se ame muito, se ame demais, se ame até transbordar. Ninguém nesse mundo vai te amar mais do que você. Se olhe no espelho e se apaixone pelo que você vê: por suas olheiras, suas estrias, as ruguinhas que seus olhos fazem quando sorri. VOCÊ É ÚNICA nesse planeta e isso é maravilhoso. Então, ame essa singularidade que é você.  

2. Ainda sobre amor, você tem o amor que acredita que merece. Então, a partir do momento que você colocar a consideração 1 em prática, você vai acreditar que merece MUITO amor nessa vida, amor de verdade, amor sem cobrança, amor sincero, amor recíproco, amor feliz. Carol, acredite que você merece o amor mais lindo, intenso e suave dessa vida, porque ele existe e ele vai aparecer na sua vida.

3. Eu lembro que você tava doidinha pra arrumar um namorado igual o Edward, do Crepúsculo. Lembro de quando assistiu o filme e ficou imaginando como seria legal ter um boy vampiro tão apaixonado assim por você. Essa história é uma das piores que inventaram na vida. Crepúsculo mostra como uma garota completamente insegura precisa (fisicamente, inclusive!) de um cara pra viver. E o que a gente quer, a gente cria. Cuidado com isso. Cuidado com essa romantização do sofrimento, da insegurança e do amor doentio. Quando você entender que amor não é isso, vai olhar com outros olhos pro Jacob.

4. Não se anule por nada nem ninguém. Vá nas festas da graduação, viva a vida sem pesar, saia com suas amigas sem culpa, curta os momentos que você sabe que são únicos e que não voltam. Foca na consideração 1.

5. Menos é mais. Compre o que você quer, mas compre o que você pode pagar. Tenha a consciência que nem tudo o que você quer, você precisa. E se mesmo assim optar por comprar algo, tente desapegar de outra coisa. Não acumule, use tudo o que tem. Seja sustentável, o planeta agradece também.

6. Aprenda a poupar. Procure não apenas economizar seu dinheiro, mas invista. Comece com pouco, com o que tem, mas invista. Estude sobre isso, faça investimentos seguros, procure conhecer pessoas e instituições que sejam seguras para colocar seu dinheiro. Daqui 10 anos você vai me agradecer. 

7. Leve mais a sério a graduação. Estude mais, foque mais, leia mais. Busque conhecimento, se esforce nos trabalhos e provas. Eu sei que não é o curso dos seus sonhos, eu sei que você se sente até deslocada perto da paixão dos outros pela Biologia, mas dê o seu melhor! 

8. Aliás, dê o seu melhor em tudo o que fizer nessa vida. Por mais que não seja algo de extrema paixão, busque alguma forma de ser, busque alguma forma de tentar fazer aquilo ser prazeroso pra conseguir fazer bem. Se você se dispor a fazer algo, qualquer coisa na sua vida, dê SEMPRE o seu melhor.

9. Não aceite menos do que você merece: seja no salário, no amor, na amizade.

10. Carol, o tempo é muito bom e você ainda vai entender o quanto. Ele leva, mas ele também traz. Amigos, que você acha que seriam sua base, vão se afastar por diversos motivos: casamento, não querer que você faça parte do crescimento dos filhos (sim, acredite), distância, afastamento natural. Mas isso é bom! Bom porque vai dar espaço pro novo, pros novos (e profundos, não rasos) amigos, pra construir elos, pra ajudar a descobrir quem você é e quem você quer ser. Aproveite, sim, seus 20 anos com esses amigos, mas não sofra quando eles forem embora. A vida te reservou muitas pessoas boas no caminho. E, além disso, vai te mostrar também quem vai tá sempre ao seu lado, mesmo nesses momentos.

11. CONFIE NO SEU INSTINTO. Sério, confie. Se não quer sair com um cara, não saia. Se não quer ir num lugar, não vá. Se não quer fazer algo, não faça.  Seu instinto é poderoso e vai te economizar anos de dor de cabeça. Foque na consideração 1.

12. Busque sempre conhecimento e não tenha medo dos rótulos que virão juntos. Esquerdista, feminista, (eco)chata - ou piores. Se posicione com consciência e quando se sentir confortável pra isso. Busque saber sempre os dois lados para ter argumentos coerentes e não se deixe levar pela maré nunca.

13. FEMINISTA. Carol, minha vontade é te abraçar e falar: você vai passar por isso, mas juro que vai ficar tudo bem. Se precisava passar? Não sei. Mas não se apegue nisso. Se apegue aos aprendizados! O que esses 10 anos que nos separam vai te ensinar é sobre direitos femininos: sobre seu corpo, sobre seu cabelo, sobre sua vida, sobre seu sentimento. E mais importante: sobre o da coleguinha também. Sororidade é uma das coisas mais maravilhosas que você vai aprender nessa vida.

14. Escreva, filha! Não pare de escrever, não. Rabisque, salve os arquivos todos, mas escreva o que tá na sua cabeça. Poemas, contos, histórias, frases. Você tem tantas ideias borbulhando dentro da sua cabeça, mas às vezes por preguiça e por dar atenção a outras coisas acaba deixando isso de lado. A única motivação que você precisa ter na sua vida vem de você mesma. Escreva!

15. Carol, uma coisa séria: mantenha sua essência. Com todo amor, com todo zelo, com todo carinho. Vai chegar uma hora nesses 10 anos que você vai perdê-la no meio do caminho e só vai perceber quando mais precisar dela. Lembre-se de olhar no espelho, de lembrar quem você era antes de qualquer pessoa, quem você era criança, quem você era na escola, com os amigos, quem você era ao sorrir, ao chorar, ao ver um desenho na hora do almoço. Sua essência é uma das partes mais lindas de você e quando pereceber vai ficar se olhando no espelho toda boba (sim, isso é verdade e envolve a consideração 1 também).

16. Curta sua presença. Goste de estar com você num sábado a noite. Opte por, algum final de semana, ficar tomando uma cerveja em casa, ouvindo música e dançando sozinha e alegre ao invés de sair. Aproveite este momento pra se reconectar com você mesma, com quem você é.

17. Você é completa. Você não precisa de ninguém pra te completar, apenas pra te adicionar.

18. Ame seu corpo, do jeito que é. Não se esconda por medo de mexerem com você na rua. Não fique sem graça de sair com um short curto porque a perna não tá raspada ou sem sutiã porque o "bico do peito pode ficar aceso".  Eu sei que você com 20 anos já pensa nessas coisas, mas se prende ao padrão. Não se importe com isso. Daqui 10 anos você não vai se importar.

19. Aceite que você é eclética. Que gosta de funk e metal. Que adora ir num restaurante fancy e também adora o copo sujo da esquina. Que gosta de ir no shopping e fazer compra on-line. Não tem problema ser assim não! Muito pelo contrário; você consegue se adaptar ao máximo de lugares tranquilamente e curtir todos eles da mesma forma. Tá tudo certo.

20. Não tenha medo de ser esquisita ou de arriscar. Quer ir comprar pão de pijama? Vai. Quer tomar chá com McDonalds? Tome. Quer desenhar um reloginho no pulso? Desenhe. Quer posar nua pra uma pintura? Pose. Quer pintar o cabelo? Pinte. Quer viajar sozinha. Vai! Quer mudar de cidade? Mude. O que você mais vai ouvir na vida é: nossa, queria ter essa coragem. E você tem! No cagaço algumas vezes, mas tem! E você tem coragem pra muita coisa na vida, não só essas coisinhas, não. Então, pensa, quem você quer ser: a pessoa que tem coragem ou a pessoa que fala pra outra que queria ter essa coragem?

21. Carol, você ainda é muito nova, mas queria te falar que o tempo passa. Não é pra te desesperar, é só pra você entender que cada momento é muito precioso nessa vida pra ser desperdiçado com coisas infrutíferas e pessoas rasas. Eu sei que os 10 anos que separam nossas mentalidades tem muito peso em todas essas considerações, mas pense no quanto é importante viver o presente e ser presente.

22. Ame sua família, mas respeite o espaço e o limite dela - e o seu. 

23. Respeite que você não é responsável pelas atitudes alheias. Que por mais que você queira resolver problemas, tomar dores ou entender pessoas, algumas coisas fogem da sua capacidade espiritual e mental. Respeite essas limitações, crenças e diferenças e não se culpe.

24. Ame suas cãs incondicionalmente. Sim, você tem duas. Ame seu gato incondicionalmente. Sim, você tem um gato. Ame sua cabra incondicionalmente. Mentira, você ainda não tem uma cabra, mas você vai querer uma aos 30 anos e ela já tem até nome: Sandra.

25. Ah! Aos 30 anos você descobre que ser organizada é MUITO LEGAL. E você acaba percebendo que isso é apenas um reflexo da sua vida. Eu sei, sua cabeça deve ter explodido de choque agora.

26. Terapia. Se você tivesse começado mais cedo, teria evitado - talvez - algumas situações na vida. Ou não. Mas acredito que teria sido bom pra você evoluir como pessoa.

27. Você vai perceber que está tudo conectado na vida. Que quando você cuida de uma área, acaba influenciando na outra. Então fique atenta à sua espiritualidade, alimentação e saúde - física e mental.

28. Não se compare com os outros. Seja nas alegrias ou nas dores. Não sofra pelo que não tem ou ache que sua dor é maior.

29. Ouça mais, saiba quando é importante se calar e quando é necessário se impor. Com o tempo você vai entender que o silêncio também é uma forma de opinião (e sua saúde metal agradecerá por isso).

30. Seja grata por cada segundo vivido. Com os anos, os meses, os dias, você vai entender o que realmente importa: as experiências e momentos com quem se ama. É isso que fica da vida e é isso que se deve colecionar e proporcionar aos outros. Aproveite, viva, ria, brinque, chore, SINTA cada sentimento que tiver que sentir, porque isso é estar viva.

Carol, no lugar de todas essas considerações, eu queria mesmo era te dar um abraço bem forte e falar: OBRIGADA por ter sido tão forte, tão teimosa, tão perseverante, tão intensa. Eu não estaria onde estou hoje e teria a cabeça que tenho hoje se você não tivesse feito parte de mim, se não tivesse vivido, se não tivesse errado, se não tivesse feito as escolhas que fez. Então, Carol, sinta-se abraçada pela Carol de 30. Amo você.

Beijas