se mova!

Nunca fui fã de praticar esportes, sempre muito desajeitada. Acredito que isso refletiu na minha relação com qualquer atividade física. Como sempre fui magra, nunca me importei muito em me exercitar, pois sempre vi isso como algo benéfico apenas pro exterior, então estava tudo ok.

Mas essa atitude, com o tempo, foi sentida na minha saúde - cansaço físico e até psicológico, além do meu físico. Dessa forma, a preocupação e vontade de me mover vieram de maneira natural, intensa, necessária e sem sofrimento.

É curioso como nosso corpo fala com a gente, né? É aquele peso que ele fica no outro dia pós-bebedeira; é uma dor na lombar por ficar tempo sentada demais; é uma dor de cabeça por não se alimentar bem; é doer na hora de fazer xixi por não lembrar de beber água. Ele é bem falante e, curiosamente, parece que passamos a ouvi-lo conforme envelhecemos. A gente aprende a respeitar os limites dele e a se preocupar em mantê-lo saudável. E, mais importante ainda, a gente aprende a respeitar os nossos limites e gostos. 

Se você quer começar a se movimentar de alguma forma, vou deixar algumas dicas do que me ajudaram (e tem ajudado!):

Beba água
Pode parecer clichê, mas faz uma diferença tremenda! Nosso corpo precisa de água (no meu caso, eu tento beber 3 litros por dia) e ele sente quando está desidratado. Se você tem dificuldade de tomar água ou esquece, olha essa dica:


Experimente vários exercícios antes de escolher um pra se comprometer
Fazer o que não gosta NUNCA dá certo. Exercício físico deve ser algo prazeroso e não obrigatório - e eu custei a entender isso! Procure fazer aulas experimentais de diversas modalidades. Gosta de luta? Tenta muay thai ou boxe! Curte dançar? Às vezes sua praia pode ser uma zumba ou aula de ritmos. Gosta de algo mais tranquilo, porém intenso? Tenta ioga ou pilates. Gosta de atividades mais dinâmicas? Tem aulas de circo e pole dance, por exemplo. São INÚMERAS as possibilidades de se manter em movimento e compensa você tentar cada uma até se achar!

Imponha metas que você possa cumprir
Quando eu estava na academia, me exercitava seis vezes por semana. Quando precisei sair, tentei continuar em casa alguns exercícios e sair pra caminhar todos os dias. Nas primeiras semanas eu consegui fazer alguma coisa, nas outras foi ficando mais difícil e tiveram semanas que eu não fiz nada (nessas, meu corpo já sentia as dores do sedentarismo). Eu percebi que não estava adiantando colocar as mesmas metas da academia pra este novo momento. Precisei fazer outras e, com calma, paciência e aceitando minhas limitações, tem dado certo! 


Invista
Eu funciono com investimento. Se eu coloco dinheiro em algo, automaticamente eu preciso fazer valer esse dinheiro investido. Foi assim com a academia (justamente por isso não estava dando muito certo ter as mesmas metas fora dela!) e foi assim também quando investi nos acessórios adequados. Um bom short de corrida, um tênis adequado, meias boas, camisas dry fit... inconscientemente, tudo isso faz com que você valorize aquele momento de se exercitar e a disposição pra isso aumenta bastante. 


Mova-se! 30 is coming!