6 séries pra assistir na Netflix

Eu sou fissurada em ficção cientifica/ fim do mundo/ coisas do espaço/ coisas sobrenaturais/ conspiração universal. Fissurada em séries. Fissurada em Netflix <3. Daí pensei em juntar tudo num trem legal e falar um pouco dos últimos filmes e séries que assisti e o que achei deles.

Vou começar com essas dicas de séries pra você ver, se apaixonar (ou não, tá tudo lindo também), ficar pensando, sair fumaça da cabeça, se viciar mais em Netflix... ou só pra se distrair mesmo.

~SEM SPOILERS~

1. Orphan Black
Já tinha escutado muito burburinho dessa série canadense. Aí um belo dia que eu tinha muita coisa pra fazer, decidi procrastinar e fui pra Netflix assistir algo. Resolvi assistir Orphan Black. A história já tem tudo pra ser muito boa pelo fato da personagem principal, Sarah Manning, tomar a identidade de uma moça que se matou que é a cara dela, chamada Elizabeth Childs. Porém, o mais legal, é que não para por aí. Quanto mais ela fuça, mais ela consegue ver que está dentro de algo muito maior do que apenas ter uma sósia no mundo e que aquilo é a resposta pra muita coisa. A série tem quatro temporadas, a quinta está pra ser lançada agora em 2017 e parece que vai ser a última - o que é ótimo porque a história chegou num ponto que se alongar mais vai estragar. 
A atuação do elenco é sensacional, os personagens muito bem construídos e com uma química boa; todo mundo tem um papel importante na série. Além do assunto ser um pouco tenso, tem um quê cômico - segurado muito bem pelo personagem Felix - e isso me prendeu total! 

Merece 5 pés sorridentes do DPD.


2. Travelers
Também é uma série canadense. A sinopse é mais ou menos a seguinte: um grupo de pessoas do futuro volta ao século XXI - assumindo a vida de pessoas comuns - pra evitar que algumas catástrofes que ajudariam a dar início à guerras e à consequente destruição do planeta aconteçam. Eu tenho uma queda por coisas futurísticas, mundos destruídos, pessoas querendo salvar o planeta e tal e a história vai se desenrolando com essa narrativa de uma forma interessante, mas devagar, ao longo dos episódios. Vamos descobrindo mais dos Viajantes, suas vidas, suas personalidades, seus desafios e como cada um vê a missão que lhes foi imposta na Terra do século XXI. Os personagens são complexos, por estarem numa realidade completamente diferente da deles e isso deixa o espectador com vontade de saber mais sobre o mundo de onde esses Viajantes vieram (acho que a série podia ter explorado um pouquinho mais isso). Travelers foi renovada pra segunda temporada e acredito que, pelo último episódio, vai ser mostrado mais sobre como é o futuro, o que mudou na linha do tempo conforme eles vão realizando as missões dadas e quais os próximos desafios. 

Quatro pés sorridentes do DPD por essa pontinha solta sobre o mundo de onde vêm os Viajantes.


3. The OA
O que dizer dessa série que não entendi quase nada e me deixou pensativa? Acho que foi uma tentativa da Netflix de reproduzir o sucesso de Stranger Things. Ô série complexa, tem um quê filósofo e até agora não entendi se é viagem da cabeça da personagem principal ou se, de fato, tudo que ela fala é verdade. 
Segundo a Netflix: uma garota desaparecida por sete anos reaparece em um hospital com estranhas cicatrizes nas costas e não pode - ou não quer - revelar onde esteve. Olha, eu tive que ir pra fóruns, tive que perguntas pessoas que assistiram e gostaram, tive que pesquisar, pra tentar entender algumas pontas soltas que ficaram. Quando soube que foi renovada pra segunda temporada fiquei feliz porque assim, talvez, eu obtenha as respostas pra me apaixonar de vez pela série - porque, sério, a história é boa! Tem uma pegada mística gigante no meio de toda essa ficção científica que achei bem legal e espero ser mais elaborada na próxima temporada. Os personagens principais estão ótimos, apesar de clichês. Foco que o pai do Draco Malfoy (Jason Isaacs) tá lá atuando maravilhosamente bem.

Merece 3,5 pés sorridentes (mas arredondando pra 4) porque, né, ainda não sei se vou me apaixonar ou odiar. Tô dependendo da segunda temporada.


4. Dirk Gently's Holistic Detective Agency
Vi a história. Gostei. Vi que é inspirado nos livros do Douglas Adams, falei "OPA". Vi que o Elijah Wood tá no elenco, assisti. A história mostra o Todd (Elijah) no meio de uma investigação sobrenatural envolvendo assassinato, sequestro, cachorro e o detetive holístico Dirk Gently. O primeiro episódio já te coloca de cara o Todd numa situação que vai te fazer querer assistir todos os episódios pra entender aquilo. Aí surge na vida de Todd o Dirk, que é um detetive holístico regido não por pistas convencionais pra desvendar um crime, mas pelo Universo, pelas dicas que o Universo dá pra ele. Esses dois "são uma dupla da pesada que aprontam altas confusões" durante toda a série. E o Dirk, sério, dá vontade de ser miga dele de TÃO FOFO que ele é. A gente tem mania de achar que detetives são pessoas mais "robustas", fortes e tal e o Dirk é o contrário disso tudo, chega a ser até ingênuo em alguns momentos e isso faz a gente se apaixonar pelo personagem. 
Um ponto negativo é que - apesar de não atrapalhar o desenrolar da série - alguns personagens não fazem liga com a história, alguns somem, outros tem uma história confusa, outros nem história tem direito ou uma atuação estranha/forçada. Espero que isso mude na segunda temporada, porque alguns são interessantes e cômicos, bons pra narrativa! Ah, ponto positivo pra fotografia que é um show à parte.

Cinco pés sorridentes do DPD!


5. 3%
Produção brasileira SIM! Sério, o brasileiro tem que parar de ser tão crítico com as produções nacionais além do necessário. 3%, como toda série, tem atuações medianas, alguns pontos que provavelmente serão abordados na segunda temporada (me ajuda a te ajudar, 3%), mas tem uma história boa e que segura a gente com várias referências já consagradas e que dificilmente vão dar errado. Segundo a sinopse: "Em um futuro pós-apocalíptico não muito distante, o planeta é um lugar devastado. O continente é uma região do Brasil miserável, decadente e escassa de recursos. Aos 20 anos de idade, todo cidadão recebe a chance de passar pelo Processo, uma rigorosa seleção de provas físicas, morais e psicológicas que oferece a chance de ascender ao Mar Alto, uma região onde tudo é abundante e as oportunidades de vida são extensas. Entretanto, somente 3% dos inscritos chegarão até lá". Achei a série INCRÍVEL, muito bem elaborada, a narrativa boa, os cenas muito bem montadas, histórias que se ligam e um contexto que todo apaixonado por cenários pós-apocalípticos gostam! Acho que na segunda temporada devem abordar mais como chegou o Brasil (ou mundo?) a esse ponto e como é a vida no Mar Alto e no Continente - a primeira temporada é sobre a seleção, então isso não foi tão abordado. Tá de parabéns, Braseo!

Vou dar cinco pés sorridentes porque sim.


6. Glitch
Essa série é australiana e assisti muito por acaso, só porque apareceu como sugestão. Li a sinopse e pensei: OI? Resumindo: é um drama de mortos-vivos + conspiração. Um estranho evento, numa bela noite, acontece no cemitério local: seis pessoas mortas se levantam e estão saudáveis e respirando normalmente. Não tem nada disso de zumbi, ninguém quer comer cérebro, ninguém tá podre. Eles voltam como se tivessem sujos de terra. 
E aí começa o desenrolar da história pra saber COMO isso aconteceu ao mesmo tempo que os mortos-vivos tentam entender e lembrar o que houve com eles em dramas pessoais. Essa série não teve nenhum marketing gigante e nem vejo muito o pessoal comentando, mas compensa assistir porque a história é bem legal, diferente e foi renovada pra segunda temporada!

Merece cinco pés sorridentes!

Beijas!