7 dicas pra colocar em prática hoje, agora, já

Vamos todos viver bem? Então vamos.

1. Não se arrependa do que te fez sorrir. Tenho essa frase como mantra. Se um sorvete de flocos te faz sorrir e depois alguém te fala que sorvete de flocos não é legal, não tem por que se arrepender de ter comido o sorvete de flocos, entende? Se te fez bem naquele momento é o que importa. Ficar se torturando porque VOCÊ não gosta mais de sorvete de flocos hoje não é saudável. Se não gosta mais, apenas siga em frente. Existem outros sorvetes na vida.

2. Veja as pessoas como bebês ou velhinhos. Li isso uma vez em algum lugar e achei interessante. Pensei em alguém que me fez raiva ou o santo não batia. E fiquei chocada. Funciona. Olhar de outra forma alguém que te traz sentimentos ruins não serve pra esquecer as coisas, relevar, sei lá. Serve pra ver que todos nós fomos e seremos frágeis um dia e isso ameniza essa energia ruim - que faz mal só pra gente mesmo.

3. Mantenha-se em movimento. Corpo e mente. Leia um livro. Brinque com os catioros. Saia para comprar pão - e compre o seu picolé preferido ao invés do pão.

4. As coisas acabam. Tá na hora de aceitar isso, parar de insistir em situações que machucam e decepcionam. Dê espaço para o novo: amizades, amores, projetos, sonhos, roupas, calçados, não importa. Tire da sua vida o que te trava o riso. O tempo aqui é tão curto que merece ser compartilhado com reciprocidade e sabedoria. Merece o esforço num trabalho que nos gratifique de forma intensa (não só financeiramente, mas principalmente na alma). Merece que o abraço seja dado a quem quer ser abraçado. Merece que os sorrisos sejam verdadeiros e não por educação. O fim é também um começo.

5. Seja intenso. Não tenha medo de quebrar a cara, de errar, de se machucar. Não seja pela metade, seja inteiro. Não dê às pessoas apenas uma parte de você, se dê por inteiro. Ou não se dê. Saiba apreciar as coisas mais básicas. Saiba sentir o que você está sentindo, seja amor, dor, alegria, surpresa. Mas sinta de forma intensa. Ninguém é feliz sendo morno.

6. Fale coisas positivas, boas e construtivas. Às vezes ouvir o que a gente já sabe é bom. Fale que ama, que sente falta, que a roupa está bonita, que o corte está bacana, que o cinema foi legal. Fale. É bom ouvir. Mas fale apenas o que vai ser construtivo e não o que vem na sua mente. Fale o que vai deixar o outro bem. Não fale as coisas da boca pra fora. Fale de coração, fale com a alma.

7. O sentimento que você dá deve ser o sentimento que você recebe. Senão é isso que rola, fuja. Reciprocidade é lindo. Não se prenda ao tempo, laços familiares, experiências vividas. Nada disso vale a pena se não existe reciprocidade. Numa relação unilateral você é o único que sente e o único que se machuca. Ninguém compensa isso. 

Beijas!