Sejamos mais Rafaela

Rafaela Silva ganhou a primeira medalha de ouro (PARABÉNS!!!!!) do Brasil nas Olimpíadas 2016.

Na arena não esboçava emoções naturais de quem tá ali, nenhum nervosismo. Estava concentrada, focada, com olhar forte e parecendo saber o que estava fazendo.
Nasceu na Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, e brigava muito na rua, sendo isso uma ponte indireta e peculiar pro judô. Com muito esforço, tornou-se campeã mundial sub-20 em 2008. Com uma ascensão incrível, participou das Olimpíadas em Londres. E ali as coisas aconteceram: com um golpe ilegal, ela foi desclassificada. Em busca de apoio, encontrou racismo e preconceito. Frases como: "lugar de macaca é na jaula", "você é uma vergonha pra sua família". Com o psicológico abalado, insegura da sua capacidade e pensando em desistir do esporte, nesses últimos anos ela foi se restabelecendo aos poucos, com uma importante ajuda de familiares, amigos e mentores. Um passo por vez. Uma competição por vez. Um ano depois desse forte episódio ganhou o Mundial no Rio - medalha de ouro - e participou de outras importantes competições. E, hoje, ela foi campeã olímpica no Rio. Com 24 anos, a garota que pensou em desistir ganhou uma medalha de ouro.

Me peguei pensando no quanto precisamos ser mais Rafaela em nossas vidas. 

É muito mais simples vivermos as desculpas. Desculpas que às vezes se encontram nas nossas cabeças; no meio em que crescemos; nas pessoas com quem convivemos; nas situações que passamos/estamos. A mente humana é incrivelmente adaptada pra ter desculpas pra tudo de forma a querer seguir pelo caminho mais "fácil". E desistir é sempre mais fácil.

Quantas vezes já pensamos (ou até mesmo desistimos!) de um projeto, uma meta, um objetivo por um obstáculo que julgamos ser irreparável? Quantas vezes pessoas (próximas ou não) colocaram o dedo na nossa cara pra falar que não éramos capazes ou bons o suficiente pra conseguir "chegar lá"? Quantas vezes, na busca de um incentivo, encontramos apenas palavras duras? Quantas vezes colocamos as desculpas em prática pra explicar o porquê de estar desistindo? 
  • Não tenho tempo; é muito difícil; não tive oportunidades; não sou tão boa pra isso; isso não é pra mim; ah, depois eu faço; se fulano não conseguiu, eu também não vou conseguir.


Não! Rafaela não desistiu. Rafaela persistiu no seu sonho. Rafaela se concentrou, focou no que precisava. Mesmo com um mundo de gente com falas duras, com seu psicológico e  credibilidade em si abalados, ela não desistiu. Ela acreditou no seu potencial. Ela sabia o que queria e onde queria chegar. Rafaela não é diferente de mim, de você, do seu amigo, do seu pai, da sua avó. 

Rafaela não é vergonha pra ninguém. Rafaela é um exemplo de persistência e de que todos nós podemos ser o que quisermos nessa vida, podemos ter nossa medalha de ouro. Sejamos mais Rafaela.