As coisas mudam

uma pequena pausa na apresentação boring que tô fazendo - que na verdade já deveria ter terminado - pra escrever aqui nesse cantinho gostoso que é o MSA

Adoro esses momentos de insights que chegam sem pedir licença, fazem um nó na nossa cabeça e que muitas vezes eu mal conheço e já considero pacas. Tô aqui pensando nas mudanças da vida e na mudança da gente e em como algumas coisas são necessárias. A gente muda. E mudar dói.
Veja como são as coisas: 

Mudei meu e-mail por motivos pessoais. Exclui o antigo e fiz um outro e coloquei tudo que precisava nele: conta do Instagram, Pinterest, Twitter, Blogger etc. Troquei o endereço da minha vida, no caso. Ok. Porém, ao fazer isso, perdi MUITOS posts no meu blog, pois estavam "ligados" - ainda não entendi muito bem como - às fotos. E posts sem fotos não é lá muito legal. Coloquei todos os posts como rascunho e fui arrumando os que eu mais gostava/ me identificava. Deu 1/4 do total de posts. A P E N A S 1/4.  "Ah, mas é legal pra ver a sua evolução com o blog". É. Mas como disse, algumas coisas são necessárias (vindas naturalmente ou por erro de dedo) pra gente aprender quem a gente é, quer ser ou se tornar. Lia alguns posts e percebi como a forma de falar, agir e pensar mudou. Não me reconhecia. Não é algo legal não se reconhecer; não é prazeroso. Eu tô aqui, convivo comigo 24 horas por dia, conheço cada celulazinha do meu pequeno corpo, sei de todos os pensamentos - até os que eu não gostaria de saber - que se passam na minha cabecinha e mesmo assim não consigo reconhecer uma doidinha que tava em mim há dois anos atrás. Gente. Coisa bizarra. Eu hein.
As coisas mudam.

Ao formar na graduação, cada aluno que estava participando do baile ganhou um quadro gigaaaante com a carinha dele lá, todo trabalhado no photoshop, mas bonito. O meu ficou na sala por um bom tempo: toda loira, cabelo grande, liso. (Nota: meu baile foi em 2012, eu tinha 23 anos, a foto deve ter sido tirada quando eu tinha 22. Cinco anos até aqui, correto? Correto. Tô com 27.)  Daí fui mudando meu cabelo, me mudando...e tive que cortar forçada e ficar morena. Era um martírio chamar amigos e amigas para virem aqui em casa e sempre ouvir: "Nossa!!! Cê não sente falta desse cabelo grande não?". Sinto, caralho - respondia. Aí o cabelo foi crescendo. Mais comentários: "Nossa!!! Cê não sente falta de ficar loira não?". Ah...sinto - eu pensava. Daí fui ficando loira, um loiro mais diferente, mas que eu gostava. Aí vinha: "Nossa, cê não sente falta de ter esse loiro não?". Não. Não sinto. Nem sei quem é essa da foto - apelei. Tirei o quadro de lá. Não ia ficar com um quadro gigante, na minha casa, de uma menina com um cabelo loiro horroroso olhando pra mim.
As coisas mudam.

Antes eu era louca consumista. Louca mesmo. Ainda sou consumista, mas não louca - não nessa parte. Dia desses vi um vídeo que explicava umas técnicas de arrumação de guarda-roupa e resolvi testar: qual peça te traz alegria? Metade do meu guarda-roupa foi embora. Roupas que nunca usei, roupas que eu não voltaria a usar, roupas eu nem lembrava que tinha isso, roupas eu já usei isso???, roupas de apego. Não me identificava mais. Chegou um momento da minha vida que eu saía SEMPRE com as mesmas roupas e por preguiça! Preguiça de pensar o que eu iria usar, preguiça de vestir alguma peça que eu poderia ficar incomodada ou que não ia combinar com alguma outra que eu já quisesse usar. Desculpas que a gente inventa na nossa cabeça só pra usar a mesma roupa sempre, né? Quem nunca? Dei tudo, sem dor no coração. Semana passada foi a vez dos calçados. Foi difícil, esse blog chama Mundo do Salto Alto por uma boa razão, mas eu não estava me identificando mais com vários que eu tinha ali. Estavam ocupando espaço, ocupando uma parte de mim, de alguma forma. Alguns eu nunca usei, outros usei no máximo duas vezes. Enfim, foram embora da minha vida.
As coisas mudam. E o mais legal das coisas mudarem e você desapegar do que não tem mais nada a ver com você, é dar espaço pro novo. Dar espaço pra um quadro novo, no lugar do antigo que não te faz tão bem assim ficar olhando. Dar espaço pra um corte novo, arriscar, pintar, ter coragem. Dar espaço pra roupas, calçados, acessórios que identifiquem quem você é e que passem a mensagem que você quer pro mundo. Dar espaço pro que te faz bem, pra quem te faz bem e pra lugares que te façam bem.

Dê espaço pra você! =)