How I Met Your Mother - HIMYM

Ano passado vi muita gente no Facebook reclamando do final da série. Até então, não havia assistido nenhum episódio, achando que era uma cópia barata de Friends. Um tempo depois assistia alguns episódios aleatórios na TV e comecei a achar interessante (rir muito, no caso). Resolvi, então, fazer o trem direito e assistir desde o começo - obrigada, Netflix mesmo não tendo a última temporada lá.

A série toda se baseia no Ted contando para seus filhos toda a história de como conheceu a mãe, desde o início, com uma história puxando a outra. Mesmo sabendo que poderia me decepcionar muito com o final, viciei e assistia uma temporada inteira em um final de semana. Viver pra quê, né?

Não tô aqui pra contar a história da série, o resumo, nem nada. Tô aqui pra falar que aprendi muito com eles.

{zona de spoiler}
1. Ted era o mais romântico do grupo, o que mais queria se casar, o que mais tentava, o que mais queria uma família. E foi o último a conseguir isso.
Nem sempre o que queremos vem na hora que esperamos. Tudo tem seu momento. O importante é não desistir e saber viver o momento. Aprender com os erros, as experiências. Respeitar sua essência, respeitar quem você é e o que você quer ser e não modificar isso em função de outros, pois nunca dá certo. Às vezes, a vontade de conseguir o que se deseja é tanta que a gente passa por cima disso tudo que falei aí. E no final, percebe que era uma felicidade com prazo de validade.

2. Relacionamentos terminam.
Acho que o que mais chocou no seriado foi a última temporada ser toda do casamento de dois personagens e eles se divorciarem no último episódio.
É a vida real. Relacionamentos podem durar pra toda a vida como podem durar só alguns anos. Não significa que não deu certo, significa que foi bom enquanto durou. Não significa que não foi importante, significa que teve uma importância enquanto fez sentido para ambos. Reconhecer, aceitar, insistir até onde compensa, conversar, analisar e pesar a felicidade de cada um é algo que exige coragem. É a vida real.

3. A vida amorosa é uma bagunça mesmo.
Quem nunca namorou com uma doida? Com um stalker? Saiu com um cara que peidou na sua frente na primeira vez que ficaram? Pediu em namoro aquela menina que você ficou só duas vezes e levou um fora homérico? Quem nunca ouviu: "não é você, sou eu"? Quem nunca mudou de ideia sobre aquela pessoa que você berrava aos quatro cantos que jamais ficaria? Quem nunca disse nunca?

Lembro de ter assistido Comer, Rezar e Amar e a frase que mais guardei foi: "Às vezes se desequilibrar por amor, é parte de uma vida equilibrada". Namoros ioiôs podem dar certo sim, como aqueles relacionamentos que são um sonho podem acabar. Só os dois da relação sabem o que acontece ali, sabem o tamanho do sentimento e o que ele aguenta.

4. Quando tem que ser, vai ser. Ou não.
Acho que uma das coisas que mais deixaram os fãs de HIMYM com raivinha foi o final do final. Que, apesar da série se tratar da mãe (que é uma mera coadjuvante), o final mostra que, na verdade - apesar de ter sido feliz, casado, filhos, uma vida linda e tudo mais - Ted "sempre foi apaixonado por outra e após seis anos da morte da esposa, ele corre atrás do seu amor platônico". Mas vi toda essa confusão de outra forma: às vezes a gente fica com medo de agir, de ter coragem, de falar não, de viver outras coisas por medo de perder alguém. Mas a realidade é que deveríamos, sim, nos dar essa chance. A vida é única, é curta, é rápida. Não tô falando pra não correr atrás do que você quer. Tô falando pra saber respeitar o tempo e não deixar de viver por ter uma vida na sua cabeça que não condiz com a real situação. Ted pode, sim, ter sido apaixonado pela Robin, mas não acredito que ele teve uma vida tão linda ao lado de alguém que ele não amava. Ted viveu. Ted se apaixonou novamente. Ted foi correspondido. Ted construiu uma vida maravilhosa ao lado de alguém com quem esteve até o último segundo. Acredito que alguns sentimentos podem se acalmar e diminuir quando não são correspondidos e, numa reviravolta da vida, podem crescer novamente. E foi isso que aconteceu. A vida tem dessas coisas, tem isso do mundo girar. Ninguém sabe do amanhã. A gente se redescobre todos os dias. Guarda sentimentos e pensamentos que só mais na frente consegue entendê-los. Robin e Ted passaram por anos se redescobrindo e com o mundo dando voltas, das formas mais intensas possíveis.

O tempo muda a gente, muda nossa cabeça, nossos pensamentos e nossas vontades. As experiências nos fazem amadurecer (teoricamente) e a ver e sentir as coisas de outras formas. 
Não importa quantos guarda-chuvas amarelos passem pela sua vida, às vezes só não chegou a hora de ser feliz com a trompa azul. Ou então um guarda-chuva amarelo pode se transformar numa trompa azul, Ás vezes a trompa azul nem era tão azul quanto você acreditava que seria e aí você percebe que o amarelo do guarda-chuva é muito mais radiante. Cada um sabe de si. Cada um sabe o que sente, o que quer, o que é e isso pode, sim, mudar com o tempo.

E, crianças, foi assim que terminei How I Met Your Mother e assim termino essa reflexão, comendo uma barra inteira de chocolate.
Beijas.